sábado, 24 de setembro de 2011

Deputado é acusado de usar pessoal em suas atividades de pastor


O deputado Hidekazu Takayama (foto), do PSC-PR, vai ter de responder ação penal no STF (Supremo Tribunal Federal) por ter sido acusado pelo Ministério Público de ter usado funcionários públicos em suas atividades de pastor da Assembleia de Deus.

O Ministério Público denunciou (acusação formal à Justiça) Takayama por ter empregado de 1999 a 2003 pelo menos 12 funcionários de seu gabinete na Assembleia Legislativa do Paraná em seu estúdio de gravações de pastor e em sua casa. O STF aceitou a denúncia por unanimidade.

Takayama disse ser inocente e acusou os funcionários de querer aplicar um golpe para receber em dobro pelo seu trabalho. Mas o ministro Dias Toffoli, relator do caso, afirmou que a denuncia foi aceita não só com base no depoimento dos funcionários, mas também em ações trabalhistas.

Por crime de peculato (usurpação de cargo público para proveito próprio), Takayama poderá ser condenado de dois a 12 anos de prisão.

Ele é autor de projeto de lei que isenta pastores dos crimes de injuria e difamação.

Fonte: Paulopes Com informação do Supremo Tribunal Federal.

Um comentário:

  1. tem que prender sao os safados que desviam dinheiro dos cofres publico nao o takaiama

    ResponderExcluir